MENU

Os caminhos de Santiago de Compostela

Para qualquer amante de viagens no mundo, existe um aventura que desperta vontade ou, no mínimo, uma boa dose de curiosidade: o Caminho de Santiago de Compostela. O caminho é conhecido por ser um trajeto longo feito a pé, durante vários dias, passando por várias cidades e muita natureza. Essa experiência costuma provocar grandes reflexões nos caminhantes e acaba levando a uma certa cura espiritual.

Localizada no noroeste da Espanha, a cidade de Santiago de Compostela é conhecida como o ponto de encontro entre todas as rotas de peregrinação do cristianismo. As caminhadas até o local começaram no século IX como um ritual estritamente católico, com o objetivo de venerar as relíquias do apóstolo Santiago Maior, cujo suposto sepulcro está na Catedral de Santiago de Compostela.

Catedral de Santiago de Compostela

Hoje o caminho já não é feito apenas com fins religiosos, mas para os mais abrangentes propósitos, desde espirituais até por esporte – afinal, são em média 25 km de caminhada por dia. Aliás, a dica para quem for fazer a peregrinação é se preparar pelo menos com um mês de antecedência, fazendo caminhadas diárias e aumentando a distância progressivamente.

Vale citar também que, apesar de as caminhadas serem puxadas, é possível adaptar a maneira de percorrer o caminho a quem não tiver excelentes condições físicas. Algumas das opções que facilitam o trajeto são fazê-lo a cavalo ou de bicicleta. Existe também a alternativa de contratar um serviço de apoio que carrega a bagagem mais pesada, de forma que no final do percurso de cada dia o caminhante tenha a sua mala em mãos no hotel ou albergue escolhido.

O que levar e onde comer

Para aqueles que optarem por fazer o caminho no formato mais simples de todos, recomenda-se pouquíssima bagagem, por motivos óbvios: a distância já é longa o suficiente para você ter que fazê-la com um grande peso nas costas. Recomendam-se três mudas de roupas (principalmente meias, que serão trocadas muitas vezes), uma toalha pequena, um chapéu, capa de chuva e água. A capacidade da mochila não deve ultrapassar 45 L, e de preferência o seu peso total deve ser no máximo 10% do peso corporal de quem a leva. Botas impermeáveis (já usadas – não estreie botas novas na sua peregrinação!) também são uma ótima pedida.

Um trecho da peregrinação

Os caminhos costumam ser repletos de lugares para comer e de albergues, todos cheios de outros peregrinos e cujos donos estão acostumados a receber justamente essas pessoas. E boa notícia é que essa aventura, além de transformadora espiritualmente, é muito barata: é difícil gastar mais do que 40 ou 50 euros por dia, entre hospedagem e alimentação.

Quando ir

Não se recomenda fazer o caminho no inverno, pois é muito frio e há poucas pessoas fazendo. A chuva é frequente em todas as estações, mas em junho a sua probabilidade cai mais. Os meses mais recomendados para fazer a peregrinação são os da primavera (abril, maio e junho). Climaticamente o verão (julho, agosto e setembro) também é excelente, mas saiba que haverá mais gente, já que o período coincide com as férias europeias.

É seguro?

A segurança durante o caminho de Santiago não deixa a desejar. A maioria das pessoas vai sozinha, sem guia e sem conhecer a trilha, e mesmo assim existem pouquíssimos relatos de assalto ou outros crimes mais graves. Furtos sempre podem acontecer em qualquer lugar, então é claro que é sempre bom ficar de olho nos seus pertences. Mas, de maneira geral, a peregrinação é repleta de pessoas que fazem justamente o contrário: elas têm o maior prazer em ajudar. É bastante tranquilo inclusive para mulheres irem sozinhas.

Os muitos Caminhos de Santiago

 

Algumas das diferentes rotas para chegar a Santiago de Compostela

Apesar de o nome “Caminho de Santiago” ser conhecido no singular, existem vários trajetos que levam a Santiago de Compostela, com início em diversos pontos da Europa – há quem diga que são mais de 100 opções de percursos. Os mais famosos são o Caminho Francês, o Caminho Português e o Caminho do Norte, que vai pela costa da Espanha. Veja mais sobre cada um abaixo.

As rotas mais populares duram entre 7 e 38 dias, percorrendo uma média de 25 km por dia, como já citado. Os trajetos costumam não ter muitas placas de indicação, mas têm setas pintadas para que os peregrinos possam andar com autonomia. Elas podem aparecer a cada 30 metros ou a cada quilômetro, dependendo do trecho. Se o andarilho passar mais de 15 minutos sem ver uma, é aconselhável voltar até a última seta vista. Como os caminhos são sempre cheios de peregrinos, é comum todos se ajudarem.

Os três caminhos mais famosos (e suas variações)

Caminho Francês

É o caminho mais famoso e com melhor estrutura para receber os peregrinos.

Início: Saint-Jean-Pied-de-Port (França)

Início alternativo: Roncesvalles (Espanha). Entre Saint-Jean-Pied-de-Port e Roncesvalles fica a Serra dos Pirineus, uma cadeia de montanhas entre a França e a Espanha. Como é um trecho que exige bastante fisicamente, além de não ser recomendado com mau tempo, alguns caminhantes preferem evitá-lo.

Distância: 800 km

Média de dias: 28 a 35

Estrutura: excelente. Grande oferta de albergues, lugares para comer e boa sinalização.

Principais cidades no Caminho: Pamplona, Logroño, Burgos, León e Ponferrada.

Caminho Português

É a segunda rota mais popular. É mais plana e mais curta.

Início: Porto (Portugal)

Início alternativo: Lisboa (Portugal). Rota aumenta para 600 km, ~ 25 dias.

Início alternativo: Tui (Espanha). Rota diminui para 120 km, ~ 6 dias.

Distância: 230 km

Média de dias: 7 a 11

Estrutura: boa. Bem sinalizada e com muitos albergues. A partir de Tui existem marcos de concreto indicando a distância até Santiago. Já entre Lisboa e Porto não existem tantos albergues, então os peregrinos costumam dormir nos Bombeiros Voluntários, em Pousadas da Juventude ou em Casas Paroquiais.

Acesse aqui um guia sobre o Caminho Português, elaborado pela Associação Galega dos Amigos do Caminho de Santiago: Caminho Central Português  

Caminho do Norte

Vem pela costa norte da Espanha e encontra o Caminho Francês na cidade de Arzúa, já bem próxima de Santiago. Tem um pouco menos de estrutura, mas também é bastante utilizado. Exige mais fisicamente por ter mais subidas e descidas, além de ser um pouco mais longo.

Início: Irún (Espanha)

Início alternativo: Hendaye (França, ao lado de Irún)

Distância: 850 km

Média de dias: 30 a 38

Principais cidades no Caminho: Irún, San Sebastián, Bilbao, Santander e Gijón

Veja outros caminhos possíveis aqui: Caminhos de Santiago 

Credencial do Peregrino

A Credencial do Peregrino

No início da trilha escolhida, o caminhante pode adquirir a “Credencial do Peregrino”, um documento de identificação que atesta que a pessoa está realizando uma peregrinação num local de culto. A credencial receberá carimbos de albergues, igrejas, polícia e outras entidades administrativas e estabelecimentos comerciais ao longo do caminho, comprovando a sua passagem.

Chegando a Santiago de Compostela, muito próxima à Catedral fica a Oficina do Peregrino, onde o caminhante poderá receber a “Compostela”, uma espécie de diploma do peregrino – contanto que o trajeto escolhido tenha no mínimo 100 km a pé ou a cavalo ou 200 km de bicicleta.

Outras informações práticas para quem vai fazer o Caminho

Moeda: euro

Vacinas: nenhuma é necessária

Visto: não é necessário para brasileiros entrarem na Espanha

Fuso horário: + 5 horas

Se animou? Converse com a Operadora Ponto Com para fecharmos um pacote perfeito para você!