MENU

Vacina contra a febre amarela é exigida por cinco novos países

Como tem sido largamente noticiado, o Brasil está passando por um surto de febre amarela, especialmente na região Sudeste. E o resultado disso é que países tropicais livres da doença estão revendo seus requisitos para que brasileiros entrem em seus territórios: após o exemplo de longa data de vários países da África, alguns da Ásia tropical (países menos desenvolvidos) e outros da América Central, agora mais vizinhos do Brasil e considerados destinos “top” também estão começando a exigir a vacina contra a doença.

Só este ano, cinco países do continente americano já entraram para a lista: primeiro a Nicarágua (passou a exigir a vacina em 20 de janeiro), depois o Panamá (6 de fevereiro) e Cuba (7 de fevereiro). Para a Venezuela a regra também já está valendo. A próxima é a Bolívia, que exigirá a vacina a partir de 3 de março. Especialistas em viagens acreditam que outros países da zona tropical devem seguir a mesma tendência em breve.

No Panamá, a vacina não é necessária se o desembarque for apenas uma conexão de até seis horas, sem sair do aeroporto. Aliás, caso você esteja se perguntando se a vacina para o Panamá já era exigida antes: não, não era. Este era um erro comum, mas ela era apenas recomendada.

Fique atento a esta exigência, pois a falta de vacinação pode acarretar até mesmo quarentena, se você estiver chegando na Índia, por exemplo, sem o devido registro da vacinação. Já em Cuba, se você conseguir entrar sem a vacina, tem duas opções: ou pegar o primeiro vôo de volta para o Brasil, ou tomar a vacina lá e ficar 10 dias internado em um hospital cubano.

Um detalhe interessante é que a vacina contra a febre amarela só é exigida por países tropicais ou que tenham pelo menos parte do seu território em zona tropical. A Europa, os Estados Unidos e o Canadá, por exemplo, jamais pedirão esta vacina.

Países que exigem a vacina contra febre amarela para brasileiros:

África do Sul, Austrália, Bahamas, Barbados, Bolívia, China, Costa Rica, Cuba, Equador, Egito, El Salvador, Fiji, Índia, Indonésia, Jamaica, Maldivas, Nicarágua, Panamá, , Paraguai, Polinésia Francesa, Singapura, Tailândia, Venezuela

Destinos que não exigem a vacina hoje:

Peru, Colômbia, México, Punta Cana (República Dominicana), Argentina, Chile, Uruguai, Estados Unidos, nenhum da Europa

 

Como tomar a vacina no Brasil?

A vacina contra febre amarela é gratuita e pode ser tomada em qualquer posto de vacinação municipal ou estadual. Não é necessário agendar horário, só chegar lá com um documento de identificação com foto. Depois de ser vacinado, você receberá uma carterinha com a comprovação da vacina. Guarde-a, pois você vai precisar dela para fazer a Carteirinha Internacional de Vacinação ou Profilaxia (a carteirinha entregue no posto não é o suficiente para fazer uma viagem internacional). Outra opção é você tomar a vacina numa clínica particular.

 

Após a vacina, qual o próximo passo para ter a documentação?

Para viagens internacionais, você deve apresentar a Carteirinha Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), emitida gratuitamente pela Anvisa. Procure o escritório mais próximo de você (clicando aqui) e leve a carteirinha entregue no posto e o mesmo documento utilizado no dia da vacinação. O número do documento aparecerá na CIVP (usar o seu RG pode ser a melhor opção). O documento fica pronto na mesma hora e deve ser anexado ao passaporte.

 

É importante saber que…

— A CIVP deve ser apresentada ainda no Brasil, na hora do embarque. Tenha ela em mãos. Às vezes pode acontecer de ela ser exigida na imigração do país de destino; é mais raro, mas esteja preparado.

— A vacina não pode ser tomada de última hora. Ela demora 10 dias para fazer efeito, não sendo possível desembarcar nos países exigentes antes que tenha passado esse prazo. Isso vale para todos os países.

— A vacina contra febre amarela pode ter efeitos colaterais fortes. Esteja preparado para febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos que costumam durar, em média, três dias.

— A Anvisa não recomenda a vacina para pessoas com doenças que baixam a imunidade – como lúpus, câncer e HIV – nem para quem tem mais de 60 anos, grávidas e alérgicos a gelatina e ovo. Se você pertencer a algum desses grupos, pode obter uma isenção na sua CIVP (fale com seu médico ou consulte o site da Avisa).

— E uma boa notícia: a vacina contra a febre amarela agora é vitalícia! Antes, era exigida uma dose de reforço a cada 10 anos.

 

Portanto, você tem no mínimo três motivos para se vacinar já: proteger-se em solo nacional, já que estamos com um surto da doença no Brasil; prevenir-se caso você pretenda viajar para algum país tropical, já que os que ainda não exigem pode passar a exigir a qualquer momento e sem avisar com a antecedência necessária (o Panamá, por exemplo, avisou no dia 3 de fevereiro e passou a exigir no dia 6 de fevereiro); e em terceiro lugar, como já você acabou de ler, uma só dose agora vale para a vida toda.

Previna-se e boa viagem!